O equilíbrio dos diferentes minerais é fundamental para a saúde global do organismo.
Nutrição
Artigo em Discussão
As águas com gás têm algum efeito na função renal?
Gastrenterologia
Artigo em Discussão
Águas mineralmente gasosas no aparelho digestivo
Reumatologia
Artigo em Discussão
Minerais de referência no sistema musculoesquelético
Cardiologia
Artigo em Discussão
As águas minerais aumentam a Pressão Arterial?

Guias para uma Vida Saudável

Bem-vindo(a) ao equilíbrio mineral do organismo.

Planos Nutricionais
Conselhos Associados
Insuficiência de Minerais
Benefícios dos Minerais
Vida Activa

Minerais essenciais no equilíbrio do sistema musculoesquelético

06
Dez
Classifique este artigo
(3votos)
Define-se sistema musculoesquelético como a estrutura formada pelo esqueleto (ossos), músculos, tendões, ligamentos e outros componentes das articulações.

A estrutura rígida externa é composta por proteínas como o colagénio e por uma outra substância denominada hidroxiapatite, formada por cálcio e por outros minerais. É nesta estrutura que se armazena parte do cálcio de importância relevante e ela tem um papel determinante na resistência da estrutura óssea. Na estrutura interna do osso (medula), são formadas as células sanguíneas de importância crucial.

Tendo em conta, e de forma consensual, que uma dieta equilibrada em que seja contemplada a ingestão regular de alimentos que realizem um aporte diversificado de nutrientes essenciais ao equilíbrio orgânico é muito importante, há no entanto elementos que desempenham um papel mais diferenciado no equilíbrio de algumas estruturas orgânicas.

Neste caso, na génese e na manutenção do sistema musculoesquelético, o fósforo e o cálcio têm uma importância vital, embora a vitamina D também desempenhe um papel determinante. Sendo esta apenas sintetizada através da exposição à luz solar (raios ultravioletas), é na estrutura cutânea que se desenvolve e retém esta vitamina.

Já as vitaminas D2 (ergocalciferol) e D3 (colecalciferol), também elas importantes neste contexto, podem ser adquiridas através da alimentação: a primeira por meio de algumas leveduras e pelo leite enriquecido e, no caso da segunda, pelo consumo de óleos de fígado de peixe, gema de ovo e, igualmente, de leite enriquecido.

A principal função da vitamina D é permitir a absorção de cálcio e fósforo no intestino e promover o processo de mineralização, de crescimento e de reparação da estrutura óssea, favorecendo deste modo o mecanismo de sintetização fosfocálcico.

O défice deste importante elemento tem como consequência alterações metabólicas de carácter irreversível, dando origem a um crescimento e a uma reparação dos ossos de forma anormal, provocando doenças tais como o raquitismo nas crianças, a osteomalácia nos adultos e espasmos musculares (ocasionais).

2 Comentários

Adelina Maia
28/11/2011
Em relação à questão da exposição solar, li recentemente na Declaração Portuguesa da Vitamina D de 2009 (disponível no sítio da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna) que não há ainda informação acerca dos valores de vitamina D em Portugal, mas que se suspeita que estes sejam insuficientes, tal como acontece em outros países da Europa, em mulheres na pós-menopausa. A suplementação dietética (tanto de vitamina D como de cálcio) seria então aconselhada a mulheres na pós-menopausa, assim como à população idosa, doentes reumáticos e osteoporóticos. A Declaração refere ainda que uma dose de 700–800 UI de vitamina D3 por dia é eficaz contra a osteoporose e o risco de fracturas, sendo esta dose recomendada por consensos nacionais e internacionais.
Isabel Paiva
09/12/2010
Apesar da exposição solar do nosso país ser boa, será suficiente para a obtenção da Vitamina D, em quantidade adequada?

Deixe o seu Comentário

Nome
 
E-Mail
   
Comentário