O equilíbrio dos diferentes minerais é fundamental para a saúde global do organismo.
Nutrição
Artigo em Discussão
As águas com gás têm algum efeito na função renal?
Gastrenterologia
Artigo em Discussão
Águas mineralmente gasosas no aparelho digestivo
Reumatologia
Artigo em Discussão
Minerais de referência no sistema musculoesquelético
Cardiologia
Artigo em Discussão
As águas minerais aumentam a Pressão Arterial?

Guias para uma Vida Saudável

Bem-vindo(a) ao equilíbrio mineral do organismo.

Planos Nutricionais
Conselhos Associados
Insuficiência de Minerais
Benefícios dos Minerais
Vida Activa

Efeito dos minerais no controlo dos sintomas da enxaqueca

03
Mai
Classifique este artigo
(2votos)
A enxaqueca é uma doença bastante frequente e incapacitante, que se caracteriza pelo aparecimento de dores de cabeça recorrentes, com intensidade moderada a intensa, e que pode ter uma duração entre 4 a 72 horas.1-2

Doenças como a enxaqueca têm como base problemas relacionados com a neurotransmissão. Assim sendo, níveis adequados de certos minerais no cérebro são fundamentais para a produção e o bom funcionamento dos neurotransmissores - como sejam o zinco e o magnésio - e podem, por vezes, estar relacionados com a ocorrência e a intensidade dos episódios de enxaqueca.3

Vários investigadores sugerem que a deficiência de magnésio, assim como a proporção cálcio ionizado/magnésio ionizado, podem representar um papel importante no desenvolvimento dos sintomas.4-5

Tal como o magnésio, também o zinco desempenha um papel neurológico crucial e a deficiência deste mineral aparece, muitas vezes, associada ao surgimento das enxaquecas e cefaleias.6

Estes dois minerais têm, desta forma, uma potencial acção benéfica no alívio da dor ligada à enxaqueca, através da redução da hiperexcitabilidade do cérebro.7

As cefaleias podem também surgir associadas a um aumento da temperatura. Isto ocorre porque o calor, ao facilitar a desidratação, desequilibra o processo de entrada e saída de sódio e potássio das células, causando um distúrbio metabólico que potencia a ocorrência das dores de cabeça.8

1 Pahim, LS., Menezes, AMB., Lima, R. (2006). Prevalência e factores associados à enxaqueca na população adulta de Pelotas, Rio Grande do Sul. Rev Saúde Pública, 40(4): 692-8.
2 Zukerman E. (2002). Enxaqueca. In: Souza SEM. Tratamento das doenças neurológicas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, p.485-8.
3 Iglesias, H., Bottura, R. Naves, M. (2009). Fatores nutricionais relacionados à enxaqueca. Com. Ciências Saúde, 20(3):229-240.
4 Mauskop A, Altura BM. (1998). Role of magnesium in the pathogenesis and treatment of migraine. Clin Neurosci, 5(1):24-7.
5 Mauskop A. (2002). Serum ionized magnesium levels and serum ionized calcium/ionized magnesium rations in women with menstrual migraine. Headache,  42(4):242-8.
6 Thomas, D. (2008).Nutrition and Mental Health: a handbook. Chapter 2: Mental health and mineral depletion. Pavilion Publishing (Brighton) Ltd.
7 Anand A. (2000). Role of magnesium in alleviating pain: newer insights. J Pain Symp Manag, 20(1):1-2.
8 Gregory, A., Wellenius, Murray, A., Mittleman, Helen H. (2009). Weather and air pollution as triggers of severe headaches. Neurology, 72:922-927.

0 Comentários

Deixe o seu Comentário

Nome
 
E-Mail
   
Comentário